terça-feira, 23 de abril de 2013

O impacto da responsabilidade social na carreira


Até pouco tempo atrás, falava-se muito em responsabilidade social. Todo profissional que
quisesse fazer carreira em empresas tinha que ser um profissional seriamente afinado com a responsabilidade social.
 
Como todos sabem, responsabilidade social é a teoria de que uma organização ou indivíduo tem que agir para o benefício da sociedade. É uma obrigação que todos têm que desempenhar para manter um balanço entre o desenvolvimento econômico e o bem-estar da sociedade e do meio ambiente. A responsabilidade social seria sustentar esse equilíbrio.
 
Claro que a definição acima parece estar um pouco longe da realidade. Agora, principalmente, quando o governo, na procura pela autossuficiência em combustível, está planejando explorar o gás do xisto. E todos sabem que a extração e o processamento do xisto é bastante poluente.
 
Muita gente acha que a responsabilidade social é coisa das empresas “verdes”, que têm a
responsabilidade social como a bandeira, a parte integral de seus modelos de negócios. Mas, a verdade é que toda empresa tem que ter uma consciência social.
 
Então, fica uma dúvida: quem deve ter responsabilidade social em primeiro lugar? A empresa ou o funcionário? Na realidade, ambos. Quando uma empresa tem sólidos princípios de responsabilidade social, esta exige de seus funcionários a obediência a esses princípios.
 
O contrário, porém, pode não ser verdadeiro. Quer dizer, uma empresa que não tem muito
compromisso com responsabilidade social não exige de seus funcionários uma coisa que não tem. E como fica, então, o profissional? No meio da batalha?
 
Felizmente, existem diferentes definições de responsabilidade social. Muitas empresas
não têm muito a ver com o meio ambiente, como as empresas de serviços, mas tem
responsabilidade social. E muita.
 
Por exemplo, responsabilidade social tem a ver como a empresa opera de modo que produza um impacto positivo na sociedade. E o funcionário da empresa, ao seguir as diretrizes da empresa, estará também contribuindo para produzir esse impacto positivo.
 
Alguns estudiosos falam que uma forma da empresa produzir impacto na sociedade depende da qualidade de sua administração em termos de pessoas e de processos, e também da natureza e da quantidade de seu impacto na sociedade em vários setores. Então, um profissional bem preparado eticamente contribui muito para a qualidade da empresa.
 
Outra forma de produzir um impacto na sociedade – e isso é válido para todas as empresas – é colocar o cliente em primeiro lugar. O lucro vem depois. Isso não é uma filosofia de marketing, mas deve ser o pensamento de toda a direção, e que deve se espalhar por toda a empresa.
 
A partir desses conceitos diferentes, um profissional pode planejar bem a carreira de modo que, ao passar por diferentes empresas, seja na indústria, no comércio, ou em serviços, possa ser socialmente responsável.
 
E todos sabem, um profissional com profundo senso de responsabilidade social é muito mais bem visto do que um outro que não liga muito para “essas coisas”. Palavra de alguém que já vivenciou todo tipo de experiência empresarial.(DC)

Reactions:

0 comments:

Postar um comentário

Seu comentário será verificado antes de ser publicado.